quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

ano novo-17800






Hirra, e ainda falam do aquecimento global, a semana passada quando sai para ir trabalhar estavam -32°C… há pois é …. nunca pensei suportar tanto frio. Mas consegui, embora muito a custo, devo confesar. Mas pernas nem as sentia, as mãos embora protegidas por luvas estavam “dormentes” com o frio... mas o pior eram mesmo as orelhas, até fiquei com uma pequena queimadura do frio na orelha direita... mas agora já passou, já não me dói... mas foi duro mesmo muito....
Mas não, aquecimento global... não tem nada a ver com isso... como é lógico.

Aquecimento global é um fenómenos climático de larga extensão, um aumento da temperatura média superficial global que vem acontecendo nos últimos 150 anos. O significado deste aumento de temperatura é objecto de análise por parte dos cientistas. Causas naturais ou responsabilidade humana?
Grande parte da comunidade científica acredita que o aumento de concentração de poluentes de origem humana na atmosfera é causa do efeito estufa. A Terra recebe radiação emitida pelo Sol e devolve grande parte dela para o espaço através de radiação de calor. Os poluentes atmosféricos retêm uma parte dessa radiação que seria reflectida para o espaço, em condições normais. Essa parte retida causa um importante aumento do aquecimento global.
Denomina-se efeito de estufa à absorção, pela atmosfera, de emissões infravermelhas impedindo que as mesmas escapem para o espaço exterior.

O efeito de estufa é uma característica da atmosfera terrestre, sem este efeito a temperatura seria muito mais baixa. O desequilíbrio actual acontece porque este efeito está a aumentar progressivamente.
Os principais gases causadores do efeito de estufa são o dióxido de carbono (CO2), metano (CH4) e óxido nitroso (N2O) e CFCs (clorofluorcarbonetos). Actualmente as suas concentrações estão a aumentar. A concentração de dióxido de carbono na atmosfera aumenta devido à sua libertação através da indústria, transportes e pela desflorestação (as plantas retiram o dióxido de carbono da atmosfera).
A principal evidência do aquecimento global vem das medidas de temperatura de estações meteorológicas em todo o globo desde 1860. Os dados mostram que o aumento médio da temperatura foi de 0.5 ºC durante o século XX. Os maiores aumentos foram em dois períodos: 1910 a 1945 e 1976 a 2000.

Evidências secundárias são obtidas através da observação das variações da cobertura de neve das montanhas e de áreas geladas que estão a diminuir, do aumento do nível global dos mares, do El Niño e outros eventos extremos de mau tempo. Maiores períodos de seca, furacões mais intensos e inundações são cada vez mais frequentes.
No Japão em 1997 foi discutido um protocolo que estimula os países signatários a cooperarem entre si, através de algumas ações básicas:

- Reformar os setores de energia e transportes;
- Promover o uso de fontes energéticas renováveis;
- Eliminar mecanismos financeiros e de mercado inapropriados aos fins da Convenção;
- Limitar as emissões de metano no gerenciamento de resíduos e dos sistemas energéticos;
- Proteger florestas e outros sumidouros de carbono.

Se o Protocolo de Quioto for implementado com sucesso, estima-se que a temperatura global reduza entre 1,4 °C e 5,8°C até 2100, entretanto, isto dependerá muito das negociações pós período 2008/2012, pois há comunidades científicas que afirmam categoricamente que a meta de redução de 5% em relação aos níveis de 1990 é insuficiente para a mitigação do aquecimento global.

Este protocolo visa a redução da emissão de gases causadores do efeito estufa. Contudo os EUA, o maior poluidor mundial, ainda não assinou esse protocolo Os EUA negaram-se a ratificar o Protocolo de Quioto, de acordo com a alegação do presidente George W. Bush de que os compromissos acarretados por tal protocolo interfeririam negativamente na economia norte-americana.
Frente ao rápido crescimento econômico de economias emergentes, cuja matriz energética é extremamente dependente da queima de combustíveis fósseis, em especial do carvão mineral, o aumento nas emissões de gás carbônico parece inevitável para as próximas décadas, frustrando as pretensões do Protocolo de Quioto.

SABIA QUE:

* Cientistas da NASA revelaram que o buraco de ozono sobre o Antárctico está não só mais pequeno mas também dividido em dois. E que este so será reparado em 2068
* Neste momento a área do buraco ascende a 15 milhões de quilómetros quadrados, contra os 24 milhões que se verificaram nos últimos anos.
* A protecção da camada de ozono está, desde 1987, consagrada no protocolo de Montreal.
* Pessoas de pele clara e cabelo ruivo são as mais vulneráveis

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Aqui ficam algumas imagens que descobri num calendario aqui em Edmonton , a autora e "Catherine Simpsom" - Pode pegar...
Este foi o presentinho de natal deixado pela: http://www.freewebs.com/nickafernandes/, muito obrigada. - Lindo ne?

domingo, 21 de dezembro de 2008


Natal.... nao acredito; e ja la vai mais um ano!
O tempo passa tao rapidamente, que na nossa luta diaria, nem nos damos conta que mais um ano esta a chegar ao fim. Mas este ano nem me parece que o Natal, esta ja ali..... Meu Deus faltam quatro dias ... quatro!
Talvez por estar neste pais multicultural, o Natal apesar de ser vivido intensamente, pois em "todas" as casas e janelas se nota o espirito natalicio, 'e vivido de maneira diferente.... nao h'a aquele corre corre das prendas de ultima hora... as longas filas dos hiper para fazer os embrulhos. Aqui tudo corre mais tranquilamente as compras sao feitas com mais antecedencia... mas e precisamente isso que eu sinto falta.
At'e eu que costumo fazer a minha arvore de Natal bem tarde, este ano fi-la no final de Novembro; nem parece meu. Os presentes ja estao comprados e debaixo da arvore... Mas este ano nao vou fazer as minhas goluseimas de Natal, o meu filhote e que ficou com pena pois ele adora os meus sonhos de ab'obora.... mas na'o consegui acontra-la. Fica para o proximo ano...
deixo-vos aqui a receita, pois e muito simples, mas ... ficam mesmo bons!
- 1 chavena de cha de polme de abobora
- 1 1/2 chavenas de cha de farinha de trigo
- 1 colher de cha de fermento em po
- 4 gemas de ovo
- 2 claras de ovo
- 1 laranja
Retire raspa e o sumo da laranja, misturar com todos os outros ingredientes, mexer bem e deixar repousar durante 10 minutos.Numa frigideira leve ao lume óleo e quando quente, frite nele colheradas da massa preformada, utilizando uma colher de sobremesa. Os sonhos devem de ficar bem lourinhos. Escorra e passe-os por açucar e canela
E a minha arvore de Natal deste Ano.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Para Ti-12188


Uma coisa que eu aprendi!

"- Que nunca poderá haver uma amizade mais preciosa do que aquela que existe entre irmãs......."
Sei que estamos longe, e ao mesmo tempo tão perto...mas quero que saibas que estarás sempre em meu coração. Tu não és apenas uma lembrança boa em minha vida, és uma presença, não material, mas espiritual em meu quatidiano. A amizade que nos une pode vencer todas as distâncias. Ela sim é mais forte que o tempo. Ela sim poderia atravessar a imensidão do espaço e transcender os limites da vida. Sim... , pois essa amizade nada, nem ninguém destruirá. Que perdure enquanto nossas almas existirem... Que nem a distância, nem o tempo e nem mesmo os nossos erros, terminem a nossa amizade. Nada é mais valioso do que ela.

Um beijo da mana que te adora!

(Chata... agora deixaste-me triste...)

terça-feira, 25 de novembro de 2008

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Hurrrrrra.... já começou a nevar...
A partir de agora acho que vai ser quase sempre assim....
Ah.... pois é .... agora já não estou a viver em Portugal .... há já dois mesinhos que regressei ao Canadá, país onde já tinha vivido há uns bons aninhos atrás, e de onde os meus "filhotes" são oriundos. Deixei o meu Portugal ... onde nasci e cresci .... país que eu ADORO, mas onde infelizmente é cada vez mais difícil viver. -Espero voltar de férias (afinal tenho aí casinha e todas as minhas coisinhas.... assim como a minha família e os amigos). Mas a vida é assim mesmo... não podemos pensar só em nós ... há que pensar no futuro dos nossos filhos e dar-lhes o melhor. Aqui afinal é o país deles e um país cheio de oportunidades... (espero que eles as saíbam aproveitar, pois foi por isso que fizemos esta mudança tão radical...)
Mas está a ser uma mudança proveitosa ... embora ainda só cá estejamos há dois meses... mas sindo tanta saudade....
Não é facil, esta mudança... afinal esta cultura é tão diferente da nossa! - não há nada de semelhante sequer....
Mas hei-de habituar-me .... e depois há estes despertares.....
... Lindo né....

sexta-feira, 31 de outubro de 2008


Hoje festeja-se o Halloween (dia das bruxas) que é um evento tradicional e cultural, que ocorre nos países anglo-saxónicos, com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e Irlanda, tendo como base e origem as celebrações pagãs.

A origem do halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 a.C. e 800 d.C., embora com marcadas diferenças em relação às actuais abóboras ou da famosa frase "Gostosuras ou travessuras", exportada pelos Estados Unidos, que popularizaram a comemoração. Originalmente, o halloween não tinha relação com bruxas. Era um festival do calendário celta da Irlanda, o festival de Samhain, celebrado entre 30 de outubro e 2 de novembro e marcava o fim do verão (samhain significa literalmente "fim do verão" na língua celta).
A origem pagã tem a ver com a celebração celta chamada Samhain, que tinha como objetivo dar culto aos mortos. A invasão das Ilhas Britânicas pelos Romanos (46 A.C.) acabou mesclando a cultura latina com a celta, sendo que esta última acabou minguando com o tempo. Em fins do século II, com a evangelização desses territórios, a religião dos Celtas, chamada druidismo, já tinha desaparecido na maioria das comunidades.


Pouco sabemos sobre a religião dos druidas, pois não se escreveu nada sobre ela: tudo era transmitido oralmente de geração para geração. Sabe se que as festividades do Samhain eram celebradas muito possivelmente entre os dias 5 e 7 de novembro (a meio caminho entre o equinócio de verão e o solstício de inverno). Eram precedidas por uma série de festejos que duravam uma semana, e davam início ao ano novo celta. A “festa dos mortos” era uma das suas datas mais importantes, pois celebrava o que para nós seriam “o céu e a terra” (conceitos que só chegaram com o cristianismo). Para os celtas, o lugar dos mortos era um lugar de felicidade perfeita, onde não haveria fome nem dor. A festa era celebrava com ritos presididos pelos sacerdotes druidas, que atuavam como “médiuns” entre as pessoas e os seus antepassados. Dizia-se também que os espíritos dos mortos voltavam nessa data para visitar seus antigos lares e guiar os seus familiares rumo ao outro mundo.

Visto que, entre o pôr-do-sol do dia 31 de outubro e 1° de novembro, ocorria a noite sagrada (hallow evening, em inglês), acredita-se que assim se deu origem ao nome atual da festa: Hallow Evening -> Hallowe'en -> Halloween. Rapidamente se conclui que o termo "Dia das bruxas" não é utilizado pelos povos de língua inglesa, sendo essa uma designação apenas dos povos de língua (oficial) portuguesa.




quarta-feira, 29 de outubro de 2008





















A Filha da Floresta - Livro I da Trilogia Sevenwaters
de
Juliet Marillier
Edição: 2001
Páginas: 448
Editor: Bertrand Editora


Aqui fica mais um livro magnifico ... este sobre os costumes celtas e todo o seu misticismo...
" A Filha da Floresta" de Juliet Marillier.

Um romance do Tempos Celtas que nos remete para os tempos antigos onde o amor era vivido de forma intensa e apaixonada, diria mesmo mágica ... passado no crespúsculo da velha Irlanda, quando o mito era Lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos. O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e Criaturas Encantadas que deslizam pelos bosques vestidos de cinzento e mantém as armas afiadas.

Mas nem tudo aqui é idílico, pois os Bretões e os Vikings estão decididos a lutar por aquelas terras e travam violentas batatas para as conquistarem.

Mas a maior "batalha" vai ser protagonizada por Socha, uma pequena curandeira que tem o dom de ler mente, pois é no seio da sua família que se introduz o traidor: Lady Oonagh, uma feiticeira que usa a sua beleza e os seus sedutores estratagemas para seduzir todos, principalmente Lord Colum (pai de Sorcha), com quem se casou. Frustrada por não conseguir domar Sorcha, Oonagh lança sobre os irmãos de Sorcha, um feitiço que os transforma em cisnes... feitiço esse que só Sorcha poderá quebrar.

Por amor aos seus irmãos, Sorcha aceita o desafio imposto pelas Criatura Encantadas; se falhar, eles continuarão encantados e morrerão.

É no decorrer desta difícil tarefa que tudo muda... pois Sorcha é capturada por um Bretão, e então Sorcha ver-se-á dividida entre o seu dever, que lhe impõe que quebre o feitiço, e o amor proibido, mas cada vez mais forte, pelo seu próprio inimigo...

Toda a magia e tradições celtas e irlandesas concedem ao livro uma aura mística espectacular. Assim como os factos históricos, apesar de poucos, tornam o livro ainda mais real no nosso imaginário. E as ricas descrições das terras, da floresta e do domínio de Sevenwaters, da herdade do extraordinário Red...maravilhoso!
Gostei imenso, sem palavras para expressar. É daqueles livros que nos marcam tanto ao ponto de ficarmos a pensar neles durante dias. Ao ponto de relermos vezes sem conta e de irmos sempre espreitar as nossas partes preferidas quando as saudades batem mais forte. É um livro em que choramos, rimos e ansiamos por mais. Uma história simplesmente magnifica, fantástica (muito ao estilo de as Brumas de Avalon), uma história inesquecível e viciante que nos cativa desde o principio ao fim e nos leva a querer ler mais e mais... por isso mal acabei já comecei a ler o Filho das Sombras ( o segundo volume da triologia)
Aconselho vivamente a leitura da triologia:
* O Filho das Sombras
* A Filha da Profecia
* O Herdeiro de Sevenwaters  (Ingles)

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

terça-feira, 7 de outubro de 2008




















Dezanove Minutos de Jodi Picoult
Edição: 2007
Páginas: 532
Editor: Livraria Civilização Editora

Mais um que acabei de ler...
- Acabei há duas semanas: "Dezanove Minutos" de Jodi Picoult.... mais um livro que sinceramente aconselho pois é espétacular, magnífico, intrigante, realista e sinistramente actual… são aquelas situações que pensamos que não nos acontecem a nós, talvez por querermos afastar de nós as coisas más da vida e pensarmos que há nossa volta tudo tem que ser perfeito...mas este livro mostra-nos como ás vezes desconhecemos quem mais amamos, e que o mundo que nós idealizamos para nós, não é assim tão perfeito.

Este livro aborda um assunto delicado na sociedade contemporânea, um tiroteio no liceu, levantando perguntas como: o seu filho pode tornar-se num mistério para si? O que significa ser diferente na nossa sociedade? É justificável para uma vítima ripostar? E quem – se é que alguém – tem o direito de julgar outra pessoa? - Outro dos temas centrais é o acesso de menores a armas de fogo. Revisita-se a hipocrizia social americana, a obsessão com o politicamente correcto e as suas consequências.

Em Sterling, New Hampshire, Peter Houghton, um estudante de liceu com dezassete anos, suportou anos de abuso verbal e físico por parte dos colegas. A sua amiga, Josie Cormier, sucumbiu à pressão dos colegas e agora dá-se com os grupos mais populares que muitas vezes instigam o assédio. Um incidente de perseguição é a gota de água para Peter, que o leva a cometer um acto de violência que mudará para sempre a vida dos residentes de Sterling.

Composto por indivíduos contraditórios e imperfeitos, este romance inteligente tem suspense, complexidade, moral e uma reviravolta final espantosa

domingo, 7 de setembro de 2008

- O prometido é devido... por isso, cá está! - esta é para a minha mana pôr na cozinha dela...

sexta-feira, 5 de setembro de 2008


Meu DEUS... estou sem TEMPO para nada...
Nem mesmo para postar.....

Mas ainda tive tempo de terminar uma caixinha que brevemente posto.... prometo!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Estou cansada.
Cansada de lutar contra esta corrente.
Mas eu não quero ir. Deixem-me aqui. A esperar...

Luto por algo que nem eu bem o quê.... talvez contra mim...
Não quero amar, não quero que me amem . Tenho medo...
Mas a verdade é que asolidão me destrói aos poucos.
Nunca quis esta vida para mim, no entanto, é mesmo isto que tenho.

Uma vida vazia.
Nunca quis tornar-me nisto, fria....distante...sózinha... amargurada
Vão-se embora, todos voçes que me dizem que tudo isto vai passar que me dizem para não ser parva, que me dizem que sabem como é , que compreendem...
Compreender o quê?... Calem-se por favor... como podem comprender o que nunca viveram?

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Ano 2070. Acabo de completar 50 anos, mas a minha aparência é de alguém de 85. Tenho sérios problemas renais porque bebo pouca água. Creio que me resta pouco tempo. Hoje sou uma das pessoas mais idosas nesta sociedade. Recordo quando tinha 5 anos...

Tudo era muito diferente. Havia muitas árvores nos parques; as casas tinham bonitos jardins e eu podia desfrutar de um banho de chuveiro aproximadamente uma hora. Agora usamos toalhas em azeite mineral para limpar a pele.
k
Antes, todas as mulheres mostravam as suas formosas cabeleiras. Agora, raspamos a cabeça para mantê-la limpa sem água. Antes, meu pai lavava o carro com a água que saía de uma mangueira. Hoje os meninos não acreditam que utilizávamos à água dessa forma.

Recordo que havia muitos anúncios que diziam para CUIDAR DA ÁGUA, só que ninguém lhes dava atenção; pensávamos que a água jamais poderia terminar. Agora, todos os rios, barragens, lagoas e mantos aqüíferos estão irreversivelmente contaminados ou esgotados. Antes, a quantidade de água indicada como ideal para se beber era oito copos por dia por pessoa adulta. Hoje só posso beber meio copo. A roupa é descartável, o que aumenta grandemente a quantidade de lixo; tivemos que voltar a usar os poços sépticos (fossas) como no século passado porque as redes de esgotos não se usam mais por falta de água.

A aparência da população é horrorosa; corpos desfalecidos, enrugados pela desidratação, cheios de chagas na pele pelos raios ultravioletas que já não têm a capa de ozônio que os filtrava na atmosfera. Imensos desertos constituem a paisagem que nos rodeia por todos os lados. As infecções gastrintestinais, enfermidades da pele e das vias urinárias são as principais causas de morte. A indústria está paralisada e o desemprego é dramático. As fábricas dessalinizadoras são as principais fontes de emprego e pagam os empregados com água potável em vez de salário.

Os assaltos por um balde de água são comuns nas ruas desertas. A comida é 80% sintética. Pela ressequidade da pele, uma jovem de 20 anos está como se tivesse 40. Os cientistas investigam, mas não há solução possível. Não se pode fabricar água, o oxigênio também está degradado por falta de árvores, o que diminuiu o coeficiente intelectual das novas gerações.

Alterou-se a morfologia dos espermatozóides de muitos Indivíduos. Como conseqüência, há muitos meninos com insuficiências, mutações e deformações. O governo até nos cobra pelo ar que respiramos: 137 m3 por dia por habitante adulto. Quem não pode pagar é retirado das "zonas ventiladas", que estão dotadas de gigantescos pulmões mecânicos que funcionam com energia solar. Não são de boa qualidade, mas se pode respirar. A idade média é de 35 anos.

Em alguns países ficam manchas de vegetação com o seu respectivo rio que é fortemente vigiado pelo exército. A água tornou-se um tesouro muito cobiçado, mais do que o ouro ou os diamantes. Aqui não há árvores porque quase nunca chove; e quando chega a se registrar uma precipitação, é de chuva ácida; as estações do ano têm sido severamente transformadas pelas provas atômicas e da indústria contaminante do século XX.

Advertia-se que havia de cuidar do meio ambiente, mas ninguém fez caso. Quando a minha filha me pede que lhe fale de quando era jovem, descrevo o quão bonito eram os bosques; falo-lhe da chuva e das flores; do agradável que era tomar banho e poder pescar nos rios e barragens; beber toda a água que quisesse; o quanto nós éramos saudáveis!

- Ela pergunta-me: - Papai! Por que a água acabou?

Então, sinto um nó na garganta; não posso deixar de me sentir culpado porque pertenço à geração que terminou destruindo o meio ambiente ou simplesmente não prestou atenção a tantos avisos.

Agora, nossos filhos pagam um preço alto e sinceramente, creio que a vida na terra já não será possível dentro de muito pouco tempo porque a destruição do meio ambiente chegou a um ponto irreversível.

Como gostaria voltar atrás e fazer com que toda a humanidade compreendesse isto quando ainda podíamos fazer algo para salvar ao nosso planeta Terra!
kk


Documento extraído da revista biográfica "Crónicas de los Tiempos"


ffffff

Olha só; este tag feito por mim, no Photofiltre

- Há já algum tempo que ando a querer aprender a fazer tags, gifts, blinkis...essas coisinha tão giras...mas não tenho possibilidades de fazer agora esses cursos, por isso vou "cuscando" os Tutorials que vou vendo na net e ... olha já começou a dar resultado...(ok eu sei que é basico).

terça-feira, 5 de agosto de 2008




É tão bom ser criança..... não é???

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

terça-feira, 29 de julho de 2008

- Aqui ficam alguns gifts da "Lisa Martin" - Pode pegar...





Quero ir para a minha casinha....

hoje tenho tanto sono....